Fornecedora

  • Serviços
  • Máquinas e Equipamentos
  • Notícias
  • Equipe de Vendas
  • Fale Conosco
  • Atendimento Via Chat
  • Cesta de cotação
  • DF terá PPP de R$ 6,1 bi para novos hospitais

    Sex, 06 de Dezembro de 2013 18:00

    O governo do Distrito Federal buscará na iniciativa privada investimentos para a construção de dois hospitais com um total de 668 leitos.

    A PPP (parceria público-privada), cujas propostas serão abertas em janeiro, prevê um contrato de R$ 6,1 bilhões.

    A empresa vencedora terá de construir e equipar as unidades, além de operá-las em um regime de concessão pelo período de 20 anos.

    Um dos prédios será erguido em Brasília para a área de traumatologia. O outro, para atendimento geral, ficará na cidade-satélite de Gama.

    "O grupo terá até 24 meses para as obras. Como receberá pelos serviços [por 20 anos], terá todo o interesse em concluir com agilidade", diz Pedro Cardoso de Santana Filho, da Secretaria da Saúde da administração distrital.

    Na gestão dos hospitais, caberá à empresa tarefas como limpeza, lavanderia e alimentação dos pacientes.

    "Toda a logística interna, da administração até a chegada no balcão da enfermaria, será feita pelo parceiro", afirma Santana Filho.

    O poder público manterá o controle sobre questões médicas, o que inclui o corpo clínico e o transporte.

    A remuneração virá de contraprestações que serão pagas pelo governo com base em indicadores de eficiência.

    Além dos dois hospitais que serão construídos, o pacote da PPP compreende a implantação de novas centrais de exames médicos e a modernização da atual rede de tecnologia de informação usada pela área de saúde.

    NORDESTE ACELERADO


    A rede de hotéis gaúcha Intercity vai instalar dois novos hotéis no Nordeste --em Campina Grande (PB) e Maceió. Juntos, os empreendimentos demandarão cerca de R$ 65 milhões.

    A empresa tem hoje outras cinco unidades em funcionamento na região.

    "O Revpar [sigla em inglês para receita por quarto disponível] dos hotéis do Nordeste cresceu entre 20% e 25% neste ano", afirma o presidente do grupo, Alexandre Gehlen.

    A média nacional de expansão da rede ficou em 6% entre janeiro e outubro, na comparação com o mesmo período de 2012.

    A alta do dólar favoreceu os negócios da companhia na região: "Alguns deixaram de viajar para o exterior e foram para o Nordeste."

    As novas unidades, voltadas para o turismo de negócios, começarão a ser construídas em 2014 e entregues dois anos e meio depois.

    CERÂMICA EM ALTA DEFINIÇÃO

    A Lanzi, fabricante paulista de revestimentos cerâmicos, pretende aumentar sua participação no mercado de pisos porcelanatos.

    A empresa vai investir R$ 25 milhões na compra de equipamentos para impressão em alta definição e no desenvolvimento de produtos.

    "Esperamos um incremento no preço médio de 25% a 30% com novas linhas", afirma Luiz Antônio Lanzi, presidente da companhia.

    Hoje, o preço dos produtos varia entre R$ 30 e R$ 40 o metro quadrado.

    Além da modernização do parque fabril, localizado em Mogi Guaçu (SP), o montante também será aplicado em pontos de venda.

    A empresa exporta para os Estados Unidos e países da América do Sul como Bolívia, Paraguai e Argentina. Agora, prospecta clientes também na Europa.

    "Devemos crescer 20% neste ano", projeta Lanzi.

    O faturamento está estimado em R$ 130 milhões.

    VIAGEM EM SHOPPING

    A Agaxtur, operadora de turismo, projeta sua expansão por meio de franquias.

    Há potencial para abrir 20 lojas no ano que vem, no interior de São Paulo, Paraná, sul de Minas e Goiânia, segundo Aldo Leone Filho, presidente da agência.

    "Em Brasília e no Rio, possivelmente no Leblon, além da unidade que já temos na cidade, também há espaço. Se inaugurarmos dez, já estará ótimo", diz Leone.

    "Já temos oito lojas, contando a recente abertura em Sorocaba, a maioria em shoppings", acrescenta.

    Com pontos de venda próprios, a operadora deverá chegar no início de 2014 em Campinas e em abril em São José do Rio Preto. A loja em São José dos Campos está em operação desde agosto.

    Para o empresário, não basta oferecer os serviços pela internet.

    "Precisa estar em lojas físicas também, além de vender por telefone e pelo site", diz.

    "O turismo vende garantia de viagem. Pontos de venda físicos dão confiança, que é o que o cliente busca. O grande problema da internet é quando você não sabe de quem compra."

    CONCRETADO

    A indústria de pré-moldados de concreto deve fechar 2013 com uma expansão de 10% --número um pouco menor que os 15% de crescimento médio anual registrados desde 2007.

    Dados da Abcic (associação da construção industrializada de concreto) mostram que o segmento avança impulsionado por obras de galpões industriais, centros de distribuição, redes varejistas e shopping centers, além de arenas esportivas.

    Neste ano, 55% das empresas do setor investiram mais do que em 2012, segundo dados de pesquisa feita pela FGV a pedido da entidade.

    Equipamentos e área de produção foram os principais destinos dos recursos.

    Sinal A American Tower, de torres de telecomunicações, comprou da Z-Sites centenas de antenas de compartilhamento de sinal para telefonia celular. O escritório de direito Azevedo Sette foi responsável pela transação.

    Dentro da lei O escritório Siqueira Castro terá um setor especializado em direito do entretenimento. Compõem o novo segmento advogados especialistas em propriedade intelectual, direito digital, entre outras áreas.

     

    Fonte: Folha de São Paulo

    Banner
    Banner
    Banner
    Banner
    Siga a gente em
    nossas redes socias: